Pular para o conteúdo principal

A DIFERENÇA QUE APROXIMA

Texto.::

========================
A DIFERENÇA QUE APROXIMA
========================


Imagine aquele típico rosto nordestino, olhar cansado, pele enrugada na face, que conta mais experiências do que mil livros, chegando em casa com o alimento para a família, depois de um dia de trabalho ao sol de quarenta graus.

Enquanto a mulher prepara o jantar, ele toma um banho com a água do pote que a chuva ajudou a encher, troca de roupa e acende uma vela para a estátua de São Jorge, agradecendo por mais um dia de colheita.

Use mais uma vez a sua imaginação e troque a estátua do santo e ponha uma do Ganesha, o Deus hindu com cabeça de elefante no lugar. Troque o chapéu de palha do homem e ponha um turbante da cor que você imaginar. Troque a saia rendada e o pano na cabeça da mulher preparando a comida no forno de barro e ponha um sari colorido e pulseiras no braço. E você terá a visão típica de um indiano que vive no campo, além dos turistas, além dos gurus e loucos, além das confusões e das armas nucleares em conflitos que ele nem sabe por que razão se iniciaram.

Para ele, o que importa é o alimento da família, e todo o resto vira cenário, história em volta de fogueira que ilumina o campo onde a luz não chega.

Viajando pelo interior da Índia, cada vez mais percebo que somos realmente um só. Muda-se a fronteira, troca-se a língua, os costumes, e encontra-se o mesmo povo lutando pelas mesmas coisas que por lá tem um nome diferente.

O mesmo povo que sorri quando a chuva vem e chora quando ela se vai levando embora tudo o que eles tinham.

O mesmo povo de olhar expressivo e sorriso-pétala esperando um pingo de motivo para desabrochar numa linda risada.

O mesmo povo que com suas crenças, quer seja por santos, quer seja por deuses, vibra no peito uma paixão verdadeira pela própria existência.

Vim para a Índia encontrar o exotismo e diferença, e encontro tudo igual ao país em que nasci.

Não entendo a língua que eles falam, mas aprendi a ler olhares e traduzir sorrisos, por isso compreendo e os valorizo tanto quanto o povo da minha terra, ou o povo de outras terras, separados por fronteiras, mas unidos pelo mesmo coração que bate forte celebrando o sopro de vida que a cada dia habita em todos, quer seja no Brasil, quer seja na Índia.

SOMOS TODOS UM SÓ!



(- Frank - Jaisalmer, Norte da Índia, 04 de agosto de 2003.)
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Processo Seletivo Natura 2010

Estou participando e me empolguei nas respostas abaixo, vejam que lindo:
. No que a Natura contribuirá para vc e vc para  a Natura?
Em um Mundo onde a cada dia estamos acabando com a natureza, a Natura vem para provar que é possível usar e ser sustentável ao mesmo tempo, acredito que com essa política empresarial e postura diante da sociedade a Natura agregará uma visão diferenciada de trabalho, onde poderei criar um Mundo melhor para mim e a todos ao meu redor, sendo assim, trabalharei com prazer, num ciclo interminável de respeito pelo próximo e pela natureza.
. Dois princípios fundamentais para a vida (a gente tem que escolher entra uns 10) e em cima desses escolhidos, descrever uma experiência de vida:
Humanismo:  Certo dia me deparei trabalhando para uma ONG de cuidava de animais, onde eram tratados de forma surpreendentemente maravilhosa, como humanos, onde tinham tudo do bom e do melhor, fiquei extasiada e empolgada pelo trabalho, pois maltrato com animais é crime, o trabalho da…

Sexta-feira

Toda sexta feira, meu amigo Edu Corelli posta fotos lindas de homens maravilhosos no face de presente para as amiguinhas de redação, seguindo seu exemplo, postarei fotos de homens lindos para saudar o fim de semana que está chegando.

Hoje começarei com esses lindos:


Aproveitem!

Saudades……