Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2012

o Passado, no Presente

Você esta lá, vivendo perfeitamente sua vida, curtindo, rindo, dançando, brindando, noites, dias, viagens, abraços, beijos, amores.
Num piscar de olhos, tudo acabou, tudo passou
Foi um sonho? não, foi a vida e isso é a vida
Tudo passa tão rápido e se formos parar para pensar e lembrar, bate aquela tristezaÉ tão bom reencontrar pessoas que fizeram parte desse mundo perfeito, que resgatam, nem que seja por poucas horas, a infinita felicidade que já acabou
Ontem encontrei um amor do passado, um anjo, que por muito tempo me fez a mulher mais feliz do mundo, e não digo que nosso relacionamento foi aquela loucura obsessiva de hoje em dia, não, era livre, perfeito.Curti muito com ele e esse tempo foi perfeito.Queria de alguma forma, nem que por uma noite, voltar, só pra sentir aquele cheiro e aquelas sensações, pena isso ser impossível.Porque deixamos coisas boas se tornarem passado?
Me separei dele, casei com outro, ele idem, agora, divorciados, nos reencontramos.Não foi a …

na Revista do Tatuapé

Hoje tive a honra de participar de uma reportagem na Revista do Tatuapé, fui escolhida como personagem apaixonada pelo bairro, e sou mesmo, de fato, uma eterna apaixonada pelo meu bairro – Tatuapé.Fui com o fotógrafo no Pq Piqueri, onde tiramos diversas fotos, na hora fiquei com muita vergonha, mas foi lindo.

Tudo isso graças a minha comunidade no facebook, Tatuapé Oficial, onde posto atualizações, denúncias e comento sobre o dia-a-dia no bairro.Assim que for publicada a reportagem, posto aqui pra vocês =P

A SÍNDROME DOS VINTE E TANTOS ANOS

(por Raphael Varela)

Você começa a se dar conta de que seu círculo de amigos é menor do que há alguns anos.
Dá-se conta de que é cada vez mais difícil vê-los e organizar horários por diferentes questões: trabalho, estudo, namorado(a) etc.
E cada vez desfruta mais dessa cervejinha que serve como desculpa para conversar um pouco.As multidões já não são ‘tão divertidas’, às vezes - até lhe incomodam.
Mas começa a se dar conta de que enquanto alguns eram verdadeiros amigos, outros não eram tão especiais depois de tudo.
Você começa a perceber que algumas pessoas são egoístas e que, talvez, esses amigos que você acreditava serem próximos não são exatamente as melhores pessoas.
Ri com mais vontade, mas chora com menos lágrimas e mais dor.
Partem seu coração e você se pergunta como essa pessoa que amou tanto e te achou o maior infantil, pôde lhe fazer tanto mal.
Parece que todos que você conhece já estão namorando há anos e alguns começam a se casar, e isso assusta!